Dúvidas sobre Ejaculação Precoce – Especialista em Sexualidade

A Ejaculação Precoce, ou EP, como é chamada, é responsável por 40% das queixas feitas nos consultórios de terapia sexual.

Liliana Seger, doutora em psicologia clínica e especializada em sexualidade responde abaixo algumas questões sobre EP.

 

1. “É dolorido?”

P. “Sobre o tratamento para EP, como faço? Quem devo procurar? Existe uma pessoa especifica? Quanto custa? É dolorido?”

R: O tratamento não é dolorido. O valor varia conforme o profissional. Existe atendimento psicoterápico em diversas Faculdades de Psicologia ou em ambulatorios de hospitais-escola, ligados a universidades, por exemplo. Procure a que fica mais perto de você, e pergunte se existe atendimento em psicoterapia breve e focal- ou terapia sexual.

2. “Existe cirurgia?”

P. “Gostaria de saber quais os passos iniciais a serem adotados por uma pessoa que tem EP. Sou, infelizmente, muito rápido e muitas vezes não consigo satisfazer a minha parceira. Gostaria de me tratar. Tem-se que fazer algum tipo de cirurgia ou tratamento medicamentoso?”

R. Não se faz cirurgia. O tratamento é feito através de terapia sexual, algumas vezes pode ser necessário o uso de medicamentos. O tratamento não costuma ser demorado. Procure um especialista, não tenha receio.

3. “Mesmo tendo hábitos saudáveis é possível desenvolver EP?”

P. “Tenho 50 anos e tenho hábitos saudáveis (corro e jogo futebol). Minha ejaculação demorava em média de cinco a dez minutos, mas agora quando ela vem, é muito explosiva. Tento segurar, mas não consigo, sou meio agitado, meio ansioso. O que devo fazer?”

R. A ansiedade atrapalha a vida de várias formas. Existem técnicas para aprender a lidar com as situações. Em relação a Ejaculação Precoce (EP), uma das técnicas é aprender a ter controle sobre o reflexo ejaculatório.

Você pode procurar psicólogos especialistas em terapia sexual.

4. “Pomada resolve?”

P. “Tenho 29 anos e levo de 2 a 5min pra ejacular. Já tentei ate pomada anestésica pra passar na “glande” mas não adiantou muita coisa. Não tem alguma maneira de resolver sem ir ao medico? Não me sinto bem de falar com um doutor ou doutora sobre isso.”

R. As vezes tentar métodos sem auxilio médico só piora a situação.

Você sabia que ao usar pomada anestésica, não só não te ajuda como ainda faz com que sua parceira perca a sensibilidade?

A pomada anestésica age mais em mucosa (no caso da mulher) a ação é maior, assim ela perde o prazer na relação. Não tenha receio de procurar um especialista, ter EP não desmerece ninguém. O importante é que existe tratamento. O Dr. ou a Dra. não vão te julgar! Acredite.

5. “Bebida alcoólica ajuda?”

P. “Tenho 35 anos, mais sempre fui muito rápido. Percebi que após a ingestão de bebida alcoólica, demoro mais. Sou ansioso, elétrico, mais não sei se só isso a causa.”

R. A ansiedade é um fator que contribui muito para a EP, mas se você procurar uma avaliação médica e psicológica, você vai aprender técnicas de controle da E.P.

O Ejaculador Precoce é rápido em uma grande variedade de situações, na forma de lidar com as coisas, no trabalho, etc.

Não se acostume a usar a bebida alcoólica para diminuir a ansiedade, pois com o tempo você acabará tendo mais um problema.

6. “Agitação excessiva contribui?”

P. “Olá, tenho 22 anos, e tenho esse problema de EP. Gostaria de saber como devo fazer pra curar isso, sou muito ansioso, agitadíssimo.”

R. Como você deve ter visto, a grande maioria diz, sou ansioso, agitado, etc. Quando se aprende a lidar com a ansiedade, tudo melhora. A EP é muitas vezes um sintoma dessa forma de lidar com as situações do dia a dia. Procure um psicólogo especialista em terapia sexual e um urologista.

7. “Tenho vergonha. Dá pra tratar via internet?”

P. “Tenho EP há muitos anos. Já procurei ajuda de um médico e ele me recomendou uma terapia junto com minha esposa. Mas ela não aceitou e eu abandonei o tratamento. Como faço? Tanto eu e quanto ela temos vergonha. Isso não pode ser tratado só com remédio ou via internet?”

R. O tratamento não é feito via internet.

Você tem vergonha do que? A EP é muito comum, além disso, o profissional não vai julgá-lo, ao contrário vai ajudá-lo a ter uma vida mais satisfatória. Você inclusive aprenderá a ter níveis maiores de excitação, uma vez que aprender a controlar. Mesmo para ser medicado o médico precisa conversar com você. Vá enfrente.

8. “Fimose pode contribuir para a EP?”

P. “Meu namorado tem esse problema de EP! Realmente é muito desagradável e esfriou nossa relação. Tenho sido muito paciente mas está dificil. Ele tem fimose, gostaria de saber se isso pode estar interferindo e alguma coisa.”

R. Você tem razão, isso atrapalha a relação, mas tem jeito. Não desanime, peça para o seu namorado procurar um urologista, as vezes a fimose pode incomodar, não que isso seja a causa da E.P. Entretanto é necessário uma avaliação.

9. “Demorar demais também é sinal de problemas?”

P. “Existe o problema inverso da ejaculação precoce, ou seja, aquele individuo que fica muito tempo com o membro ereto e às vezes perde o tesão?”

R. Existe sim. Procure um urologista especialista.

10. “Quem devo procurar?

P. “Alguém conhece um médico em SP/Capital para recomendar?”

Não podemos indicar alguém especificamente, mas se você não conhece nenhum, pergunte a um médico de sua confiança.

Fonte: oqueeutenho.uol.com.br

2 Comentários

  • Olá, tenho 23 anos e sofro tambem EP.
    Tento satisfazer minha namorada o máximo possível nas preliminares, pois quando coloco meu penis na vagina dela, não aguento quase nada. Aí fico tirando a toda hora e começo a chupá-la novamente. Mas isso é chato. Penetração nao aguento.
    Meu penis tem apenas 12cm. Isso contribui para o problema?

Deixe um comentário