FAQ – Ejaculação Precoce

Questões mais comuns sobre Ejaculação Precoce respondidas pelo urologista Celso Gromatzky, doutor em Urologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

 

1) O que é ejaculação precoce?
É a ejaculação que ocorre logo após a penetração ou antes que ela ocorra, causando desconforto e/ou sofrimento ao paciente e/ou à parceira.

2) Existe um parâmetro para calcular o tempo médio de uma ejaculação considerada normal?
Os dados mais relevantes que temos nesse sentido são fruto de um estudo publicado em 2005, no Journal of Sexual Medicine. A pesquisa mostrou que esse tempo varia em torno de cinco minutos após o início da atividade sexual.

3) Quando há necessidade de tratamento?
A ejaculação precoce começa a se tornar um problema quando é frequente e atrapalha a vida sexual do casal. Nesse caso, é fundamental procurar um médico. No entanto, vale ressaltar: a maioria dos homens que sofre com esse distúrbio o apresenta desde o início de sua vida sexual.

4) Há um exame que faça o diagnóstico preciso da doença?
Hoje em dia, o que mais usamos em consultório são questionários específicos. Existem pelo menos três questionários com validação internacional e que podem ser aplicados para ajudar a detectar o problema de ejaculação precoce.

5) Quais são as causas?
Ainda não há consenso sobre isso. No entanto, as pesquisas mais relevantes que temos apontam para uma forte relação com a carga genética e com situações de grande ansiedade e estresse.

6) Como é o tratamento?
Ele pode ser feito por meio de remédios via oral, psicoterapia ou medicamentos tópicos (pomadas de uso local). Essas terapêuticas podem ser, inclusive, combinadas, de acordo com o perfil do paciente. O tratamento, em geral, tem duração de 120 dias.

7) O que muda no tratamento com a chegada do Priligy, à base de dapoxetina, primeiro medicamento para a ejaculação precoce?
Hoje em dia, o tratamento é feito com antidepressivos capazes de atuar na região do cérebro que comanda a sensação do orgasmo. A partir da introdução desse novo medicamento, teremos o primeiro remédio especialmente desenvolvido para tratar a ejaculação precoce. A dapoxetina é um princípio ativo com mecanismos de ação semelhantes aos de seus precursores, porém, ela conta com propriedades farmacodinâmicas e farmacocinéticas muito superiores, no que diz respeito à absorção, pico de ação e eliminação dessas substâncias pelo nosso organismo. Com os antidepressivos, o uso tem de ser contínuo; o consumo, diário. Por isso mesmo, é maior o risco de sofrer com efeitos colaterais – sonolência, boca seca e, em alguns casos, diminuição do desejo sexual e piora na qualidade da ereção. Já a dapoxetina tem a vantagem de poder ser administrada apenas algumas horas antes da relação sexual, como acontece com os medicamentos para disfunção erétil. Isso diminui o risco de efeitos indesejáveis causados pelo uso prolongado. Além disso, a retirada dos medicamentos mais antigos tinha de ser lenta e gradual, num processo que poderia durar de três a quatro semanas, o que não acontece com a nova droga.

8) Existem exercícios capazes de ajudar o homem a controlar melhor sua ejaculação?
As psicoterapias comportamentais normalmente indicam treinos que podem ser feitos pelo paciente individualmente e com a parceira, durante o ato sexual. Eles podem ajudar na recuperação.

Deixe um comentário